O QUE É?
É a melhoria do aspecto facial corrigindo as alterações produzidas pelo envelhecimento. Pode ser realizada pela técnica clássica ou por via endoscópica.

ANESTESIA: Pode ser local sob sedação ou geral inalatória.

ATO OPERATÓRIO:
Na Ritidoplastia Clássica as incisões são feitas no couro cabeludo, extendendo-se á frente das orelhas, contornando os lóbulos destas e terminando posteriormente ás mesmas, já no couro cabeludo. Por essas incisões faz-se a tração de pele e músculos necessárias para a correção da face envelhecida. Na Ritidoplastia por via endoscópica são feitas cinco incisões com 1,5 a 2,0 centímetros no couro cabeludo, por onde são introduzidas uma câmera videoendoscópica que permite o tratamento da musculatura facial que se tornou flácida. As duas modalidades cirúrgicas têm indicações precisas e em certas ocasiões são realizadas de maneira combinada visando um resultado mais completo.

QUEM DEVE FAZER?
Pessoas que apresentam envelhecimento facial com rugas e flacidez músculo-cutânea.

COMO É O PÓS-OPERATÓRIO?
O paciente recebe alta hospitalar no dia seguinte ao da cirurgia. Permanece com a face enfaixada por dois ou três dias. É uma cirurgia que produz pouca dor no pós-operatório, mas provoca um grande edema (inchaço) e equimoses (roxos), não sendo preocupantes, pois em cerca de dez dias a maior parte destes já regrediu. O resultado final começa a surgir após três meses e estará definido por completo cerca de um ano após a cirurgia.

COMPLICAÇÕES:

Hematoma ou sangramento: sangramento inesperado após a cirurgia. É a complicação imediata mais freqüente nessa cirurgia e deve ser tratada no centro cirúrgico.
Infecções: são raras e quando ocorrem devem ser tratadas com antibióticos e em raras situações necessitando nova cirurgia.
Necrose de Pele: É mais freqüente em pacientes fumantes e consiste no sofrimento e perda da pele comprometida pela necrose. Trata-se com a retirada do tecido desvitalizado. Se a área comprometida for extensa pode resultar em cicatrizes inestéticas na face.
Lesões de ramos nervosos: quando ocorrem pode haver paralisias de alguns movimentos da mímica facial. Na maioria das vezes o quadro se resolve espontanemente em até seis meses
Assimetrias: surgem com freqüência nos primeiros meses de pós- operatório, e a princípio não devem causar alarmes, pois tendem à correção espontânea. Assimetrias persistentes podem necessitar de refinamento cirúrgico.

COMO SÃO OS RESULTADOS?
A face passará a ter um aspecto mais jovial, perdendo parte do aspecto cansado produzido pela flacidez músculo-cutânea. Os olhos ficam mais expressivos e a pele com mais brilho. A flacidez do pescoço pode ser total ou quase totalmente tratada e as sombrancelhas ficarão em posição mais erguida.